Curiosidades, Natação

Dicas de Segurança Aquática para crianças

Piscina x calor x filhos – combinação perfeita! Mas é preciso que os pais tenham muito cuidado, pois as crianças exigem atenção constante. Alguns segundos de distração podem ser suficientes para que os pequenos façam algo imprevisto como, por exemplo, pular na piscina sem supervisão.

Infelizmente, no Brasil, segundo dados da SOBRASA, o afogamento é a segunda maior causa de morte entre crianças de 1 a 9 anos e a sétima de hospitalização na faixa etária entre 1 e 14 anos.

Children swimming in kid pool

Confira algumas dicas sobre Segurança Aquática:

1.  GRADE DE PROTEÇÃO EM VOLTA DA PISCINA
A grade de proteção deve ter, no mínimo, 1,20 m de altura. Além disso, deve ser trancada com travas que não permitam uma criança abrir o portão com facilidade ou ter sistema de fechamento automático, ou até mesmo, cadeado.  Dessa forma, quando estiver longe de seu campo de visão, você saberá que, perto da piscina, a criança não estará.

2. CONVERSE COM SEUS FILHOS E PREPARE-OS PARA O LAZER NA PISCINA
A razão de crianças não terem receio ao redor de uma piscina é justamente por não saber do perigo que elas escondem. Por isso, é papel dos pais conversarem com os pequenos sobre o assunto, explicar de uma forma que as crianças entendam que é seguro para elas transitar ao redor da piscina desde que estejam acompanhadas de um adulto.

Outro ponto importante é investir em aulas de natação, desde bebês. Essa atividade, além de excelente estimulação aquática e motora, é também um importante método para garantir a segurança dos pequenos, mas isso não tira a responsabilidade dos pais, crianças precisam de vigilância constante.

3. INVISTA NO MATERIAL ADEQUADO
Para promover a segurança na piscina para crianças (e mesmo para os adultos), o piso do entorno e também a escada da piscina deve ter revestimento adequado: o material deve ser antiderrapante para evitar quedas e escorregões.

4. FAÇA A MANUTENÇÃO DA PISCINA SEM A PRESENÇA DAS CRIANÇAS NA ÁREA
Faça a manutenção de sua piscina quando ninguém estiver dentro. Muitas pessoas têm o hábito de deixar a motobomba ligada enquanto usam a piscina. No entanto, essa prática não é recomendada, afinal, alguns ralos podem sugar cabelos, boias, roupas ou até mesmo algum membro do corpo das crianças.

5. MATERIAL DE SEGURANÇA ADEQUADO
Para uma criança com menos de 4 anos, é imprescindível o uso de um colete salva-vidas apropriado. A Sociedade Brasileira de Pediatria e a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático sugere o uso de coletes, já que estes são melhor do que a boia de braços, pois essas podem ser facilmente retiradas pelos pequenos. Também não são recomendadas boias “tipo pneu”, pois elas podem escorregar do corpo da criança.

6. CUIDADO COM AS BRINCADEIRAS INADEQUADAS OU PERIGOSAS
Muitas pessoas têm o hábito de brincar de dar “caldinho” ou colocar os pequenos nos ombros para se divertirem na piscina. Essas brincadeiras, no entanto, não são recomendadas e comprometem a segurança na piscina para crianças. É importante ter noção de que movimentos bruscos podem não dar certo com os pequenos por perto.

Além de acontecer um imprevisto, eles podem querer reproduzir os movimentos em outro momento, mas sem possuir a presteza de um adulto para isso.

Portanto, dê o exemplo para seu filho, oriente-o, promova comportamentos seguros para você e para ele e se quiser brincar com os pequenos na piscina faça brincadeiras seguras na piscina. Assim, você garantirá a segurança na piscina para crianças e todos poderão aproveitar o melhor que essa área de lazer tem a oferecer!

Na imagem abaixo temos mais dicas sobre Segurança Aquática:

cartaz_dicas_seguraca-aquatica.jpg

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.