Curiosidades, Natação

Uma experiência para os sentidos

8.jpg

É uma necessidade psicomotora de auto valor, proporcionar experiências sensoriais utilizando de variações nas tarefas técnicas de modo geral, os materiais pedagógicos, nas brincadeiras, no espaço definido para as aulas e até na disposição dos objetos na piscina.

As crianças possuem seu ritmo de aprendizado de assimilação de informações. Elas sentem, veem e pensam de maneira única.

Apesar das aulas serem planejadas para os diversos grupos de diversas faixas etárias, o professor deve respeitar cada aluno (a), estimulando e verificando seus limites motores.

Sabe-se que a curiosidade é um forte elemento motivacional das crianças, por isto é conveniente que pais e educadores sejam facilitadores de aprendizagem, e não agentes de cobranças impensadas e incoerentes. É importante que a cada aula as crianças tenham surpresas, desafios divertidos, seja um brinquedo ou material esportivo novo, nadar do lado oposto da piscina, palavras diferentes ou uma musica, entre outros aspectos. Mas é necessário criar uma situação diferente, que não se assemelhe ao habitual, e que, em especial, desperte o interesse e a curiosidade natural dos alunos.

É necessário proporcionar a oportunidade dos pequenos perceberem diferentes pressões da agua, através de tarefas com distintas profundidades. Por outro lado, também é igualmente interessante nadar fazendo bagunça (orientada e disciplinada), esparramando muita agua, se escondendo sob ela, virando cambalhotas, pulando e se sociabilizando com brincadeiras coletivas. Num segundo momento, solicitar que nadem em silencio, respeitando a agua amiga, sem espirrar nenhuma gotinha. De forma muito natural, as crianças vão percebendo diferenças importantes do ato de nadar. Mudar a piscina pode ser uma experiência inesquecível, sempre tomando os devidos cuidados em relação a profundidade.

Surpreenda as crianças com diferentes sensações, montando circuitos lúdicos, em que as crianças trabalhem na terra e na agua, combinando pedagogicamente as brincadeiras.

Materiais diversos com diferentes tamanhos e texturas. Abuse de objetos grandes, pequenos, largos, estreitos, ásperos, lisos e multicoloridos. Brincar na superfície, no fundo da piscina, com um dos olhos fechados ou ambos, deslocando para trás ou para os lados, são elementos proprioceptivos importantíssimos e necessários. As variações são infinitas e só dependem da criatividade de cada professor.

Lembre-se que, quanto maior a quantidade de experiências sensoriais, melhor será o desenvolvimento motor, cognitivo e o controle emocional. Observe como as crianças adquirem confiança e consciência corporal após períodos trabalhando por meio de diferentes estímulos.

Deixe uma resposta